Dor no peito, nos braços e enjoo podem ser sintomas de infarto.

Desde o último sábado (15), o humorista Renato Aragão, 79 anos, está internado após sofrer um infarto. De acordo com o boletim médico, o apresentador teve um “infarto agudo no miocárdio e passou por angioplastia”. O infarto é a parada do coração causado pela falta de irrigação de sangue no músculo cardíaco e pode ter diversas origens. Segundo especialistas ouvidos pelo R7, o problema decorre de predisposição genética ou fatores externos, como má alimentação, sedentarismo, hipertensão, alcoolismo e tabagismo.

Sem título-1
Renato Aragão continua internado após sofrer infarto no último sábado (15).
Divulgação/TV Globo

Segundo o diretor da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), Rui Ramos, o sangue pode ser interrompido pela “obstrução das artérias coronárias por placas de gordura que vão se formando ao longo dos anos em suas paredes”.

― O desprendimento de parte dessa parede de gordura ou a formação de um coágulo de sangue acarretam a obstrução do fluxo sanguíneo, causando problemas sérios ao coração.

De acordo com dados da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), no Brasil morrem cerca de 340 mil pessoas por doenças cardiovasculares todos os anos. Essa é a principal causa de morte por doenças, superando inclusive os cânceres.

No momento do infarto, de acordo com o cardiologista, a pessoa sente dor no peito que pode se irradiar para os dois braços.

— Em alguns casos as dores podem se irradiar para as costas, mandíbula e até mesmo par o estômago, provocando enjoos.

Para o cardiologista e professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), Diego Gaia, as primeiras duas horas após a aparição dos sintomas são essenciais para aumentares as chances de cura e diminuir as de sequelas.

― O aconselhado é que, assim que sentir os sintomas, a pessoa corra para o hospital. Se não houver ninguém para levá-la ao pronto-socorro é necessário chamar uma ambulância imediatamente.

Segundo o diretor da Socesp, 40% dos pacientes que chegam em até uma hora e meia ao hospital não adquirem nenhuma sequela após o infarto.

Gaia ainda explica que pessoas que sobrevivem ao infarto “podem desenvolver insuficiência cardíaca em que o coração tem menos força para bombear o sangue”.

—Então a pessoa pode se cansar mais do que o normal ao subir uma escada ou realizar um exercício.

Angioplastia

O procedimento que Aragão passou após o infarto, a angioplastia coronária, é um tratamento das obstruções das artérias do coração com o objetivo de aumentar o fluxo sanguíneo para o músculo.

― Após a desobstrução da artéria por meio de um cateter, é implantado um stent [pequeno tubo de metal] que mantém a artéria aberta, aumentando o fluxo de sangue.

Segundo Gaia, a angioplastia não é o único procedimento possível para tratar aqueles que tiveram o infarto agudo do miocárdio.

― Nem todos os casos necessitam uma angioplastia. Alguns casos específicos podem ser tratados por meio de medicamentos que desobstruem as artérias.

Se cuide e fuja do infarto!

A vida corrida e atribulada dos dias de hoje faz com que as pessoas não tomem cuidado com a alimentação e com o corpo. O estresse, a falta de sono e uma alimentação desregulada contribuem para que o coração fique sujeito a doenças cardíacas como o infarto.

De acordo com a cardiologista da Clínica Vivid – Saúde e Vaidade Ana Cristina Ludovice, a prática de exercícios físicos, pelo menos quatro vezes por semana, aliada a uma alimentação balanceada, podem diminuir os riscos de um infarto.

― O recomendado é evitar a ingestão exagerada de quaisquer tipos de gorduras. Aliado a isso, é necessário prática de atividades físicas quatro vezes por semana, com a duração mínima de 45 minutos, pois já colabora na prevenção de problemas cardíacos.

Segundo a diretora médica do INC (Instituto Nacional de Cardiologia) Cynthia Magalhães, os idosos devem ficar mais atentos à saúde do coração.

― Os idosos devem ficar mais atentos a fatores que coloquem a saúde do coração em risco. Tabagismo, alcoolismo, sedentarismo e a hipertensão devem ser controlados ao máximo. Isso também vale para os mais jovens.

Para as cardiologistas, consultar regularmente os médicos para checar colesterol, diabetes, IMC (Índice de Massa Corpórea) e pressão arterial são grandes amigas da saúde do coração.

*Colaborou: Luiz Guilherme Sanfins, estagiário do R7

Matéria publicada no R7 notícias: http://noticias.r7.com/saude/


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>