Criolipólise

Tratamento não invasivo destinado à redução de gordura localizada, idealizado como alternativa para as pessoas que não querem se submeter às cirurgias plásticas. Possui comprovação científica, tendo sido desenvolvido na Universidade de Havard (EUA) e é aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration) e pela ANVISA.

Seu mecanismo de ação é através do resfriamento das áreas selecionadas, destruindo assim apenas as células adiposas (gordura), sem causar danos à pele. Uma vez congeladas, essas células serão rompidas e nunca mais voltarão ao formato original, sendo eliminadas pelo organismo através do sistema linfático.

Indicado, essencialmente, para eliminação de gordura subcutânea, os resultados começam a ser notados a partir da segunda semana seguinte à realização da sessão. Mas somente após 3 meses é que atinge seu ápice, com redução de até 25% da gordura, a cada sessão. Consequentemente, observa-se perda de medida corporal, podendo reduzir até 10 cm de cintura, por exemplo. O resultado desejado pode ser alcançado, em muitos casos, com apenas 1 sessão. Porém, dependendo da quantidade de gordura na região, podem ser necessárias 1 ou 2 sessões adicionais de Criolipólise, com intervalos de 30 dias entre elas. Num mesmo dia de tratamento, o paciente pode realizar até 3 sessões, porém, em áreas distintas. Obviamente, o paciente não poderá descuidar da alimentação e, se possível, deve praticar atividade física para ajudar no metabolismo da gordura destruída. Vale ressaltar que a Criolipólise não é um tratamento para controle de obesidade ou perda de peso, tampouco se destina à eliminação de gordura visceral (gordura entre os órgãos).

As áreas mais comuns submetidas à Criolipólise são o Abdômen, Flancos, Culote, Glúteos, Interno de Coxa e Braços. O tratamento é quase indolor, entrentanto, pode-se experimentar um certo desconforto (dor) nos primeiros minutos em que a ponteira é acoplada à região tratada, por sucção. Mas após cerca de 2 ou 3 minutos, a temperatura de congelamento é atingida e, a partir desse momento, o local entra em analgesia e perde-se a sensibilidade à dor. Essa temperatura varia entre – 8oC e -11oC, dependendo do tamanho da capa de gordura da área de acoplamento. O tempo de duração de cada sessão é de, aproximadamente, 40 minutos. Por causa da longa exposição a temperaturas negativas, é fundamental a utilização de uma membrana individual de proteção, lubrificada com um gel especial, entre a ponteira do equipamento e a pele. Além disso, como a região fica anestesiada pelo frio e perde sensibilidade, o equipamento deve estar muito bem calibrado, a fim de evitar sérias lesões do tecido da epiderme e derme. Durante todo o tempo do procedimento, um profissional habilitado e bem treinado deve permanecer em sala, garantindo a segurança do paciente.

Há contraindicações para gestantes, pessoas com hérnias ou lesões no local da aplicação ou que passaram por cirurgia recentes, entre outras. Por conta disso e dos riscos de lesões à pele, é essencial que o procedimento seja realizado em clínica médica, sob supervisão de dermatologista. Além disso, a escolha da clínica deve ser criteriosa, pois há relatos comprovados sobre as más práticas de reutilização das membranas de proteção, utilização de equipamentos de procedência duvidosa ou aplicação a temperaturas abaixo da indicada a fim de reduzir o tempo de duração da sessão. Quando bem administrado, por profissional competente e com equipamento e acessórios adequados, o procedimento é absolutamente seguro e eficiente.

Profissionais

dra-ariane

Dra. Ariane Wunderlich – CRM: 153930

  • Graduação em Medicina pela Universidade do Vale do Itajaí, UNIVALI – SC
  • Especialização em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais,
    FCMMG – Minas Gerais – MG
  • Título de Dermatologista pela Associação Médica Brasileira – AMB
  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD
  • Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica – SBCD
  • Especialização em Dermatologia Avançada na Universidade Federal de São Paulo,
    UNIFESP – SP
  • Especialista em Dermatocosmiatria pela Faculdade de Medicina do ABC – FMABC – SP

 

dra-marianaalves

Dra. Mariana Alves Pereira – CRM: 161423

  • Graduada pela Universidade José do Rosário Vellano-Unifenas
  • Pós graduação Dermatologia pela Faculdade Ipemed de Ciências Médicas
  • Pós graduação Medicina Estética pelo ISMD Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais
  • Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica – SBDCC
  • Línguas: Inglês

Leia Mais

    • Maquiagem e envelhecimento

      Utilizar os produtos em si, não vão te envelhecer. Mas, se você não mantiver alguns cuidados antes e após o uso da maquiagem, isso sim poderá causar o envelhecimento precoce da sua pele. Então ai …
    • Revitalização com Vitamina C

      A revitalização com vitamina C facial é um tratamento indicado para peles sem viço, ressecadas e opacas e pode ser realizado em qualquer estação do ano. O protocolo utiliza-se produtos que em sua composição o …
    • Tratamento para melasma

      O que é? Melasma é uma condição que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, mais comumente na face, mas também pode ser de ocorrência extrafacial, com acometimento dos braços, pescoço e colo. …
    • Juntos, vamos trabalhar pela prevenção ao Câncer da Pele!

      Neste verão, vamos conjugar prevenção ao coronavírus com cuidados para reduzir as chances de casos de câncer de pele? Esta é a proposta da campanha do Dezembro Laranja, organizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), …
    • Quais indicações do Laser de CO2

      Indicado para manchas solares, flacidez, cicatrizes, estrias, sequelas de acne e xantelasma, o laser de CO2 é uma técnica muito utilizada na dermatologia por seus resultados satisfatórios em várias atuações. Recomenda-se que o tratamento seja …